sexta-feira, 21 de novembro de 2008

A primeira reportagem

PARTE 1 - A ENTREVISTA

Era sábado. Passava das 15:30 quando eu e minha mãe estávamos saindo de bicicleta. Eu estava na entrada da garagem, tentando concertar o freio da bicicleta quando o celular tocou.
- Alô, Lucas? - me perguntou uma menina.
- Uhum.
- Aqui é a Carol. Tudo bem?
- Tudo. - tentando entender por que a Carol ia me ligar sábado a tarde.
- Tá em casa?
- Tô saindo agora, mas pode falar.
- O Renato respondeu meu e-mail. Daria pra você entrar no msn agora?
Ela não precisava falar mais nada. A volta de bicicleta não fazia mais sentido agora que a gente faria nossa primeira reportagem mais séria.
O Renato que ela se referia era o Renato Marsiglia, ex-árbitro (apitou a Copa do Mundo de 1994) e atual comentarista de arbitragem da Rede Globo. Acontece que estamos fazendo uma série de reportagens sobre arbitragem para a Copa Campus (o maior torneio de futebol universitário do Rio de Janeiro) e queríamos muito fazer uma entrevista com um ex-árbitro. Haviam três nomes na lista: José Roberto Wright, Arnaldo César Coelho e Renato Marsiglia.
Teoricamente, seria mais fácil falar com o Wright e com o Arnaldo. Ambos moram em São Paulo e vêm com freqüência ao Rio. Mandei e-mails para eles tentando marcar a entrevista, mas não retornaram. Já o Marsiglia mora em Porto Alegre. Então nem tentei entrar em contato com ele.
A Carol, por outro lado, mandou um e-mail falando da entrevista e, para nossa surpresa, o Marsiglia respondeu. Ele viria para o Rio comentar o jogo entre Fluminense e Portuguesa e, aproveitando a deixa, iríamos a seu hotel para entrevistá-lo.
Entrevista marcada, câmera, papel e gravador na mochila, parti com a Carol para o Hotel Everest, onde Marsiglia estava hospedado.
Repórter inexperiente e tímido sofre nessas horas. A entrevista até que correu bem (desconsiderando que não conseguimos filmar a primeira resposta e que não íamos gravando o áudio até o Marsiglia dar esse toque), mas teve perguntas que me enrolei um pouco e, segundo a Carol (com certa razão), fui formal demais nas perguntas.
Assim que a reportagem sair no site, coloco o link aqui.

Para você que tá estudando Comunicação Social ou Jornalismo, aqui vão algumas lições que aprendi nessa primeira reportagem:

1 - Se te derem uma lista de possíveis entrevistados, mesmo que morem do outro lado do país, entre em contato com eles.
2 - Leve sempre um gravador de áudio com você. Pode ser um gravador de fita, mp3 ou celular mesmo. Ele será seu melhor amigo.
3 - Não seja formal demais nem informal demais. Entrevista boa é aquela que flui como uma conversa.

Boa sorte aos futuros jornalistas!
Lucas C. Silva

Em breve, a parte 2: A EDIÇÃO

4 comentários:

Mauro de Bias disse...

Sou péssimo com entrevistas. Minha condução é horrível ¬¬

Wander Veroni disse...

Oi, Lucas!

Ficar nervoso na primeira entrevista ou entrevistar alguém que vc admira é normal, não se preocupe. Isso acontece até com os mais experientes...heheheh

Excelente dicas que vc deu! E se vc me permite, ainda darei uma outra, mas essa dica depende da situação: converse com o entrevistado antes de gravar a entrevista. Isso é lógico se ele tiver com tempo disponível. Pq às vezes, pode sair coisas muito boas que vc pode acrescentar na hora da gravação.

Abraço,

=]
--------------
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Lari disse...

Acho jornalismo MUITO legal! Se algum dia me tornar uma, não vou esquecer das suas dicas, imagino que você devia estar muito nervoso! E como ele foi, simpático, normal?

Sucesso!

www.lari-landia.blogspot.com

Miriã Soares disse...

Sucesso, continue compartilhando suas experiências!!!